Reunião de instalação da Frente Parlamentar em Defesa da Chesf
Reunião de instalação da Frente Parlamentar em Defesa da ChesfFoto: Ulysses Gadêlha/Folha de Pernambuco

Diante da polêmica da privatização da Companhia Hidrelétrica do Vale do São Francisco (Chesf), a Assembleia Legislativa instala, na manhã desta terça-feira (5), a Frente Parlamentar em defesa da empresa estatal. Durante a reunião, no Plenarinho da Casa, foi apresentada uma proposta de agenda de atividades até dezembro deste ano.

Leia também:
Audiência na Alepe discute privatização da Chesf


O colegiado conta com seis membros, sendo presidida pelo deputado estadual Lucas Ramos (PSB). Ainda compõem a frente Rodrigo Novaes (PSD), Zé Maurício (PP), Laura Gomes (PSB), Tony Gel (PMDB) e Odacy Amorim (PT). Este último, escolhido vice-presidente. O líder do Governo, Isaltino Nascimento (PSB), foi escolhido como relator.

Presente na reunião, o líder da oposição na Casa, Silvio Costa Filho (PRB), defendeu que a frente não tivesse uso eleitoral e disse também que o ministro de Minas e Energia, Fernando Filho (PSB), que está à frente da desestatização da Eletrobras e subsidiárias, tem projeto eleitoral. O oposicionista ainda “insinuou” que o PSB poderia usar a Frente Parlamentar em Defesa da Chesf para confrontar o auxiliar de Michel Temer (PMDB).

Outros parlamentares, integrantes da Comissão de Constituição e Justiça da Casa (CCJ), fizeram sugestões de mobilização para o trabalho da frente.

A Chesf também conta, a nível nacional, com outra frente parlamentar em sua defesa. Ela é presidida pelo deputado federal Danilo Cabral (PSB). Na última sexta-feira (1º), representantes do colegiado pediram mais diálogo com a sociedade sobre a privatização da empresa estatal. Eles se reuniram com o diretor-presidente da Companhia, Sinval Zaidan Gama, e participaram de ato com os trabalhadores.

Com informações de Ulysses Gadêlha, da Folha de Pernambuco.

assuntos

comece o dia bem informado: