Oscar Barreto
Oscar BarretoFoto: Hesíodo Góes/Arquivo Folha

Inconformado com o anúncio da aliança entre a vereadora Marília Arraes (PT) e o deputado federal Silvio Costa (Avante), para formação de uma candidatura própria para o Governo do Estado, o vice-presidente estadual do PT, Oscar Barreto, afirmou que o pré-candidato a senador não passa de um “cavalo de troia”. Para ele, o gesto da petista foi “a gota d’água” e, por isso, ela merece uma punição do partido que, na sua visão, já “bateu o martelo” e deve marchar ao lado do PSB nesta eleição.

De acordo com o dirigente petista, “essa brincadeira precisa parar e o partido não se negará a tomar uma posição política”. Prezamos para unidade, mas as coisas estão indo para uma cisão interna. “A vereadora e seu grupo tenta criar o tempo todo uma espécie de motim contra uma decisão nacional. Esse evento de hoje é mais um episódio disso. Silvio Costa é um cavalo de troia. Diz que está aqui mas está lá”, colocou Oscar Barreto, em entrevista ao programa Folha Política desta terça (19).

Leia também
Marília anuncia aliança com Silvio Costa para formação de chapa
Para Marília, aliança aumenta viabilidade da pré-candidatura
Hipótese de coligação com Avante jamais foi apresentada na direção estadual, diz Ribeiro
Marília: 'Humberto não precisa do PSB para se eleger'
Pré-candidato, José de Oliveira reage a anúncio de aliança de Marília


Oscar também disse que a executiva nacional sinaliza para a inclusão do PT na chapa do governador Paulo Câmara (PSB), para “sair do isolamento”. Por isso, na sua opinião, Marília “não tem autoridade para fazer isso”. “Nem ela nem Teresa Leitão (deputada estadual). Tem que zelar pelo estatuto do partido. Isso não é ‘casa da mãe joana’ não. As coisas têm seu encaminhamento. O PT nacional deu um prazo para fazer essa junção política e a ideia de agredir quem quer se aliar é um ataque”, criticou.

Ouça a íntegra da entrevista com Oscar Barreto no Podcast Folhape:

assuntos

comece o dia bem informado: