Senador Armando Monteiro Neto (PTB), pré-candidato ao Governo de Pernambuco
Senador Armando Monteiro Neto (PTB), pré-candidato ao Governo de PernambucoFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

O pré-candidato ao governo de Pernambuco pela frente "Pernambuco Vai Mudar", o senador Armando Monteiro (PTB-PE), disse ter ouvido de Brasília um “ruído” entre os petistas, provocado pela nota da executiva estadual de Pernambuco. Nela, o presidente da sigla no Estado, Bruno Ribeiro, questiona o fato de nunca terem sido discutidas a coligação com o Avante e a candidatura ao Senado do deputado Silvio Costa, que chegou, há algumas semanas, a ter o nome cogitado para ocupar a segunda vaga na chapa da oposição.

Leia também:
Marília anuncia aliança com Silvio Costa para formação de chapa
Marília: 'Humberto não precisa do PSB para se eleger'
Para Oscar, Silvio Costa é um 'cavalo de troia' e o PT 'não é a casa da mãe joana'
Humberto: Aliança entre Marília e Silvio Costa 'não muda nada'


"Do nosso lado, não houve ruído, porque nós não discutimos uma coligação com o Avante em nenhum momento. O Avante nunca esteve na construção da frente que formamos, tanto que não participou de nenhum ato, não subscreve nenhuma das iniciativas ou manifestações que a Frente das Oposições promoveu. Do nosso lado, portanto, não há estranheza”. Quanto à postulação do deputado Silvio Costa, adotou uma postura de reserva: “Silvio tem toda a autonomia e independência para trilhar o caminho que entender mais adequado e, nesse sentido, não me cabe fazer nenhuma apreciação”.

Questionado se uma eventual candidatura de Marília Arraes mudaria o quadro das eleições, Armando evita fazer previsões, afirma que ainda é cedo para dizer algo, mas que há um campo propício às candidaturas de oposição ao governo Paulo Câmara: “O que eu tenho dito é que o PT tem legitimidade para buscar uma candidatura própria, que tenha nesse momento mais identidade com o partido”. O fato é que a vereadora Marília Arraes sempre foi uma crítica mordaz do governo do PSB e, no caso de vir a ser confirmada como candidata do PT, haverá duas candidaturas no campo oposicionista. “A se confirmar essa hipótese, haveria, de um lado, a candidatura do PSB que, ao que parece, teria a possibilidade de contar com o apoio de partidos mais à esquerda como o PCdoB e o PDT; e, de outro lado, a candidatura do PT. Mas, de nossa parte, estamos preparados para qualquer cenário e como venho repetindo, o que se percebe hoje em Pernambuco é um sentimento de mudança, um governo que é largamente desaprovado. Nesse contexto, as candidaturas de oposição tenderão a ocupar um espaço importante”, avalia Armando.

assuntos

comece o dia bem informado: