Inaldo Sampaio
Inaldo SampaioFoto: Colunista

Desde que o PSB nacional instaurou um processo de expulsão contra o ministro Fernando Filho, o senador Fernando Bezerra começou a emitir sinais de que iria abandoná-lo. Inicialmente levou a Petrolina o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, hoje o mais importante líder do DEM. E logo em seguida o senador Armando Monteiro, principal líder da oposição em Pernambuco.

Depois, coroando a sucessão de recados ao seu partido, de que não estava para brincadeira, não foi à convenção regional, domingo passado. No dia seguinte, contudo, foi a um ato das oposições, em Caruaru, virou-se para o ex-governador João Lyra Neto, pai da prefeita Raquel Lyra, e num discurso inflamado disse o seguinte: “Em 2006 (eleição de Eduardo Campos), Caruaru e Petrolina se uniram em uma campanha que parecia impossível. Formaram uma grande frente política, que se fez vitoriosa e marcou os últimos anos da política pernambucana.

Oxalá Caruaru e Petrolina mais uma vez se unam para anunciar que Pernambuco espera um novo tempo de trabalho, projetos e afirmação”. Só depois deste duro recado é que o governador Paulo Câmara resolveu procurá-lo. Mas ainda não se sabe se houve acordo ou não para que o senador fique no PSB. Caso tenha havido, o preço político cobrado inclui juros e correção monetária.

Leia também:
Coelhos dizem não ter clima para participar de Convenção do PSB


Devido processo legal
O PMDB-PE tem diretório constituído e isto representa um empecilho para que o presidente Romero Jucá decrete intervenção, como gostaria, para afastar da presidência o vice-governador Raul Henry, a fim de entregá-lo ao senador Fernando Bezerra. Mas, caso venha a fazê-lo, deverá instaurar um processo administrativo e conceder ao vice o “amplo direito de defesa”.

Dissidência >
O deputado Jarbas Vasconcelos afastou-se do PMDB nacional desde o início do governo Lula. A maioria do partido apoiava o governo do petista, mas a secção de PE fazia oposição. Depois os papeis se inverteram: Jarbas passou a apoiar Temer e o PT a fazer oposição.

Covardia > O desembargador federal Paulo Gadelha, que integrou o TRF da 5ª região até 2012, foi, até prova em contrário, um dos magistrados mais cultos e mais íntegros que já passaram por aquela Corte. Agora, depois de morto, foi acusado de ter no seu gabinete um assessor que “vendia” sentenças. É covardia fazer esse tipo de acusação a quem não pode mais se defender.

Corrida > O prefeito de SP, João Doria, já tem maioria na bancada federal do PSDB para ser o candidato do partido a presidente da República. O discurso com que o senador Cássio Cunha Lima saudou-o, ontem, em Campina Grande, é a prova disto. O outro postulante, Geraldo Alckmin, também aspira à candidatura. Mas, até agora, está levando desvantagem.

Maratona >
Lula chegará hoje ao PI, penúltima etapa de sua peregrinação pelo Nordeste, após ter participado ontem de um ato político em Ouricuri (PE). Ele gostaria que o PT lançasse um candidato a deputado federal na região. Mas o estadual Odacy Amorim, que seria o nome natural, não quer.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: