Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Túlio Gadêlha
Túlio GadêlhaFoto: Anderson Stevens

Deputado federal eleito pelo PDT, Túlio Gadêlha não se arrepende de ter postado em sua rede social a foto do encontro com o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia. Sobraram críticas sobre o registro. Mas ele contemporiza e, na esteira, sublinha que a esquerda precisa ser “menos sectária”. “Não me arrependo. Eu cumpro uma função nas redes sociais, além de me posicionar politicamente, de politizar meu eleitor. A gente tem uma gama de seguidores que só em ver uma foto já te julga e já te taca uma pedra e te critica. A gente precisa, primeiro, voltar a mostrar às pessoas que o caminho da boa política só se dá através do diálogo”. Em segundo lugar, Túlio observa que uma eleição para presidência da Câmara é “estratégica para os partidos” e informa que tem “avaliado muito isso”. Já definiu em quem vai votar? “Ainda não defini meu candidato à presidência da Câmara”, devolve o pedetista. Segundo ele, o presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, não fez apelo em favor do democrata, mas “colocou a importância da candidatura de Maia, mostrando que o PDT pode ocupar espaços estratégicos na Câmara”. Túlio pondera: “E aí a gente tem que fazer uma escolha. Ou a gente fica nessa trincheira de oposição e por aqui nada passa e nos fechamos em 135 deputados - somados PT, PSB, PCdoB, PSOL - e é 135 contra duzentos e noventa e tantos. Ou a gente decide por ocupar esses espaços estratégicos e fazer esse debate na Câmara, nas comissões”. Ele argumenta: “É evitar o isolamento”. E admite: “Para mim é uma decisão muito difícil. Nós fomos eleitos longe dessas estruturas partidárias. Inclusive, meu partido não me deu nem tempo de televisão para ter ideia”. Túlio diz perceber na política um sectarismo. “E isso vem dos dois lados da extrema direita e da extrema esquerda e é o tipo de política que não gosto de fazer”. As declarações foram dadas em entrevista à coluna digital No Cafezinho, que vai ao ar na íntegra, hoje, no portal da Folha de Pernambuco.

Só observo
Túlio Gadêlha esteve conversando com Marcelo Freixo e com Rodrigo Maia. “Gosto muito do Marcelo Freixo, a militância dele, a história dele. Estive com Rodrigo Maia também”. E relata: “Ele me ligou, me convidando para reunir na casa dele. Ele tomou o café da manhã dele. Eu só acompanhei, observando e ouvindo. Mas eu acho isso, sabe, a gente precisa ser menos sectário”.

Segue o baile > Secretário de Turismo, Rodrigo Novaes ainda não bateu o martelo na indicação para Empetur. Tem tido várias conversas, sem descartar o nome de José Neves, sugerido por Romário Dias, como a coluna registrou no sábado.

Teresa... > Rumo ao quinto mandato na Casa de Joaquim Nabuco, Teresa Leitão tem o nome indicado pelo PT para ocupar a terceira secretaria. Em 2014, o PT não compôs a Mesa para facilitar a organização da oposição, embora tivesse direito.

...na Mesa > A ideia é considerar prioritariamente a proporcionalidade na organizaçção da Mesa. “A indicação do PT está pacificada”, pondera Teresa e avisa: “Estou animada”.
No aguardo > Sobre ocupação dos espaços na gestão Paulo Câmara, Teresa admit : “Realmente, não houve discussão do PT num primeiro momento. O presidente (Bruno Ribeiro) retornou de viagem e está tentando recuperar esse debate”.
DO PDT - Saiu a nomeação de Fábio Fiorenzano para o cargo de diretor geral do Prorural, cuja atuação junto ao Banco Mundial é alvo de elogios do presidente do partido, Wolney Queiroz.

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: