Lula em reencontro com José Dirceu
Lula em reencontro com José DirceuFoto: Arquivo pessoal

O ex-ministro José Dirceu se reencontrou com Lula na noite de sexta (8), em Curitiba, pouco depois de os dois saírem da prisão.

Os petistas foram a uma festa organizada para o ex-presidente na capital do Paraná, no apartamento de um amigo no bairro Batel. Foi o primeiro encontro deles desde o escândalo do mensalão, em 2012.

Além de posarem para fotos, Dirceu gravou um vídeo ao lado do vice-presidente do PT, o deputado estadual Emídio de Souza (PT-SP), que o apresentou como "grande companheiro, nosso comandante José Dirceu, que também saiu da prisão graças à decisão tomada ontem [quinta, 7] pelo STF".

Dirceu agradece aos militante do PT pela solidariedade e afirma que é preciso trocar a bandeira "Lula livre" pela da retomada do poder, deixando claro que eles defendem o socialismo.

Leia também:
Bolsonaro chama Lula de canalha, e Moro lamenta revés no Supremo
No Recife, título de cidadão para Lula será protocolado na segunda

Eu estava na trincheira da prisão. Agora estou aqui de novo na trincheira da luta. Agora não é [a] do Lula livre. Agora é para nós voltarmos e retomarmos o governo do Brasil", afirma o ex-ministro. "E para isso nós precisamos deixar claro que nós somos petistas, de esquerda e socialistas. Nós somos tudo o contrário do que esse governo está fazendo. Uma boa noite para vocês, viu."

A soltura do ex-presidente ocorreu um dia após o Supremo Tribunal Federal ter decidido, por 6 votos a 5, que um condenado só pode ser preso após o trânsito em julgado (o fim dos recursos). Isso alterou a jurisprudência que, desde 2016, tem permitido a prisão logo após a condenação em segunda instância.

A decisão do Supremo, uma das mais esperadas dos últimos anos, tem potencial de beneficiar cerca de 5.000 presos, segundo o CNJ (Conselho Nacional de Justiça). O Brasil tem, no total, aproximadamente 800 mil presos.

Em discurso duro de 16 minutos ao sair, o petista falou em "safadeza" e "canalhice" do que chamou de "lado podre" do Ministério Público Federal, da Polícia Federal, da Justiça e da Receita Federal. Setores que, segundo ele, trabalharam para criminalizar a esquerda, o PT e o próprio Lula.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: